Outono com sabor na “La Crêperie da Ribeira”

2013-09-19 13.18.00

NOTA: Texto e imagens disponibilizados pela Chef’s Agency

Para receber o Outono com muito sabor, a La Crêperie da Ribeira, a única crêperie com crepes genuinamente franceses em Lisboa, desafiou um chef nacional a desenvolver uma receita especial para a nova carta. O Chef Luís Gaspar, Chef responsável pelo restaurante ‘Henrique Sá Pessoa’ no Mercado da Ribeira, apresenta assim a Galette Confit de Canard (Pato Confitado). O Croque Légumes, Salade Pesto e Crêpe Ananas são outras das novidades do menu de Outono, disponíveis no restaurante a partir do dia 17 de Outubro, por um período de cinco a seis semanas.

O chef Luís Gaspar aceitou o desafio de criar aquela que é a grande novidade do menu de Outono do restaurante: Galette Confit de Canard, uma galette repleta de criatividade, sabor e produtos da época e que representa a primeira ligação do crepe, tradicionalmente visto como uma refeição simples, à complexidade da cozinha de autor. Fazem parte da galette especial os cogumelos, espargos verdes, abóbora, alho francês, e avelã, e claro o pato confitado desfiado. Terá um p.v.p de 13 euros.

“Estamos muitos satisfeitos com a criação do Chef e estamos expectantes com a reacção dos nossos clientes ”afirma Ivo Melim, proprietário da La Crêperie da Ribeira. “É para nós importante criar uma dinâmica diferente no restaurante permitindo ter uma oferta mais alargada e diversificada. Acreditamos que assim pode agradar a pessoas que procuram os originais crepes franceses, aos que valorizam as ligações aos produtos nacionais e de época e, agora, aos que gostam de pratos mais elaborados”, afirma.

O Chef Luís Gaspar tem no seu currículo espaços como o ‘Pestana Palace Hotel & National Monument’, Grande Real Villa Itália e Hotel Real Palácio.

Atualmente desempenha funções de Sub-chef do Chef Henrique Sá Pessoa, sendo responsável pelo restaurante ‘Henrique Sá Pessoa’ no Mercado da Ribeira.

Contactos

Situa-se no Cais do Sodré, perto do Mercado da Ribeira.

Morada: Rua da Moeda, 1A – 1200-275 Lisboa

Telefone para reservas: 212 431 565

Email: reservas@lacreperie.pt

facebook.com/LaCreperiePT

Horário: 2ª-6ª-feira: 9h-00h

Sábado: 10h-00h

Domingo: 10h-20h

Serviço contínuo nesses horários

Sobre a La Crêperie da Ribeira:

Localizada na Rua da Moeda, juntinho ao Mercado da Ribeira no Cais do Sodré, onde todos os produtos frescos são adquiridos, a La Crêperie da Ribeira apresenta-se aos seus clientes com uma decoração moderna e original que alguns dirão é tipicamente francesa. As paredes são forradas a paletes multicolor, as mesas em madeira clara e adornadas com jarros de flores secas: um todo que se conjuga num espaço cheio de luz. Esta crêperie inspira-se das verdadeiras crêperies da Bretanha, em França, onde as Galettes salgadas são tão ou mais importantes que os já conhecidos crepes doces. Feitas com farinha de sarraceno como manda a tradição, as galettes são portanto adaptadas aos celíacos (gluten-free). O serviço de atendimento permanente entre as 09h e as 00h é um dos grandes atrativos deste espaço e oferece aos seus clientes a possibilidade de a qualquer hora usufruir de uma refeição rápida com qualidade, nutritiva e repleta de sabor.

2014-02-15 11.29.36 HDR2014-02-15 11.30.36 HDR2014-02-15 11.54.532014-02-15 11.56.382014-02-15 11.57.20Crepe AnanasCroque LégumesGalette Pato Confitado by Chef Luís GasparSalad Pesto

Ninguém dá ao Pernil daqui para fora!

TQB-028

Podem querer! Quem é que vai fugir de uma receita destas? É pernil! É saboroso, tenro, e quentinho, que o frio anda aí. É bom para quando estamos tristes e é bom quando estamos contentes! Basicamente, é sempre bom! Leva algum tempo, mas não dá trabalho nenhum e esperar pelo que é bom na cozinha, não custa nada.

Quem não se lembra destes pratos? Feitos pela avó, com a lareira por perto. Traz-nos uma sensação de conforto, de partilha. Traz-nos a sensação do que e ser Portugueses. No tempo que comíamos na cozinha e os almoços de família eram habituais e não havia desculpas para faltar. Onde nunca se falava de dietas ou de cuidados. Onde tudo era cozinhado com amor, sem receios. Onde os cheiros nos invadiam. Cheiros esses que ainda hoje assombram as nossas memórias e fazem com que quase nada pareça tão bom como era.

De que precisamos? Então vamos lá: Pernil, cebola, pimento vermelho, pimento verde, alho, cenoura, alecrim, tomilho e um bom vinho tinto. Podem juntar também algum piri-piri, que nunca fica mal. A partir daqui, é amor.

Usem uma panela que dê para ir ao forno. É uma boa ajuda!

Primeiro, começamos por selar o pernil. Aquecemos a gordura da nossa eleição e quando estiver muito quente, colocamos o pernil. Vamos rodando o pernil até ganhar côr a toda a volta. Assim que estiver selado, juntamos os legumes cortados à panela, juntamos o vinho tinto e colocamos tudo no forno pré-aquecido a 150º, com tampa. Depois é esperar. O tempo, a partir de agora, é convosco. De tempos a tempos vamos abrindo a tampa para regar o pernil com o líquido da sua própria cozedura. Este deve ter levado entre 1 hora a 1 hora e meia. A baixa temperatura, precisamos de mais tempo, mas dá-lhe espaço para apurar e ficar tenro como tudo. Depois é só servir, ou com batata frita, ou até mesmo cozida que não calha nada mal com o molho que é divinal.

É um prato tradicional, que não tem o que enganar. Este é dos bons.

Nunca se esqueçam disto: Se o vinho não é bom para beber, não é bom para comer. Usem bom vinho.

TQB-021
TQB-020
TQB-019
TQB-016
TQB-015
TQB-027
TQB-026
TQB-025
TQB-024
TQB-023
TQB-022
TQB-033
TQB-032
TQB-031
TQB-030
TQB-028
TQB-029

Giveaway: O primeiro aniversário

random-001

O Tudo Qué Bonito fez um ano! É verdade que já foi a 26 de Agosto, mas tivemos uma boa razão para o atraso no festejo. É que queríamos celebrar com todos vocês. Para isso, precisávamos de vos dar uma prenda que tivesse a ver connosco, e que vos agradasse a todos. Então andámos em conversações com malta boa, que gosta do nosso projecto e que vale a pena ser divulgada. Não só porque gostam de nós (o que é importante! :P) mas porque produzem produtos de grande qualidade. Era importante para nós associarmo-nos a alguém em que acreditamos, que acredita em nós mas também que fosse algo que se identifique com a nossa imagem.

Estamos a falar da Tiago Cabaço Wines. Pois é! Demorámos um pouco, mas valeu a pena. É com esta parceria feita nos céus, que trazemos uma prenda do caraças para um de vocês.

Com o patrocínio da Tiago Cabaço Wines, temos para vos oferecer: 1 Garrafa de .com tinto 2012 e 1 garrafa de .beb tinto 2011. Quem é amigo, quem é?

Assim, podem pegar neste vinho de eleição Alentejano, pegar na nossa receita de barriga de porco, e fazer magia.

Como é que podem habilitar-se a ganhar este prémio? É muito simples! Basta irem à nossa página de Facebook e seguir as instruções na tab Giveaway! Ou então, participem já aqui! Fazer like na nossa página, na página da Tiago Cabaço Wines e partilhar o anúncio do giveaway no Facebook. Mas usem a aplicação do concurso! Senão poderão não ficar contabilizados no sorteio.

EDIT: Para a partilha do concurso, devem partilhar manualmente mas devem marcar na aplicação como partilhado. Infelizmente a aplicação não partilha automáticamente!

Qualquer dúvida, não hesitem! Falem connosco.

a Rafflecopter giveaway

Boa sorte e parabéns a nós!

Tudo qué Bonito!October 3, 2014 - 14:02

Obrigado por participar Elisa Esteves! :) Boa sorte!

Ana Margarida SantosOctober 4, 2014 - 11:16
Tudo qué Bonito!October 4, 2014 - 11:28

Obrigado por participar Ana! Muita sorte!

Andresa OlímpioOctober 6, 2014 - 16:54

Done ;)

Tudo qué Bonito!October 6, 2014 - 18:04

Obrigado Andresa! :) Boa sorte!

Feijão verde com marmelada, sriracha, soja e sumo de laranja

TQB-013

Hoje trazemos um acompanhamento. Um bom acompanhamento para um bom bife, ou até peixe grelhado. Estamos a falar de uns feijões verdes envoltos numa mistura agri-doce. Uma combinação de marmelada, sriracha, molho de soja e sumo de laranja. Infelizmente, não encontrei sriracha a tempo e usei um picante habanero que não tem a graciosidade da sriracha, mas preencheu-lhe bem o espaço. Vamos assim buscar algo do doce, do picante, do ácido e do salgado. Uma mistura bombástica que aliada à textura do feijão verde e ao seu sabor subtil, se tornam uma fantástica arma de arremesso que pode ser usada para despertar qualquer palato mais adormecido.

Para o feijão verde, vamos cozer o mesmo e quando estiver no ponto, atiramos para um recipiente com água e gelo para interromper a cozedura. Depois é só envolver na mistura e servir.

Nós por aqui, fugimos sempre para os sabores fortes que despertam qualquer um. Este é mais um. Um sabor marcante. Para acompanhar o feijão (isto hoje é tudo ao contrário!) escolhemos uns bifes de vaca da boa. Estes foram salgados 10 a 20 minutos antes de fritar. Depois com o azeite bem, bem quente, foi só fritar um pouquinho de cada lado juntamente com umas cabeças de alho. Só mesmo o suficiente para caramelizar o exterior, porque por aqui, a carne de vaca come-se mal passada. Basta depois, deixar a carne repousar uns minutos para que os fluídos voltem a fluir.

Vale a pena experimentar e ver as portas que estes sabores nos abrem.

TQB-004TQB-005TQB-006TQB-007TQB-008TQB-009TQB-010TQB-012TQB-011TQB-013

Olhó franguinho do churrasco!

TQB_FRANGO ASSADO-005

E estamos de volta às comidas! Já estava mais do que na hora! E finalmente parece que as noites quentes vêm aí (espero), por isso está na altura de pôr esse churrasco a trabalhar. Hoje trago-vos duas experiências que fiz com frangos no churrasco. Esta coisa de assar frango no churrasco tem que se lhe diga e, sou sincero, ainda é algo que estou a trabalhar. Não a parte do sabor, mas a de controlar bem a assadura, aprender com os erros, garantir que o frango está bem assado, controlar as chamas numa grelha cheia. É um desafio, mas vale a pena!

Antes de chegarmos às receitas posso partilhar convosco algumas das coisas que fui aprendendo sozinho. Aposto que vocês já sabem muitas delas, mas eu vou partilhar na mesma. Nestas receitas, há marinada. É importante tentar tirar o excesso de marinada antes de ir para a grelha, senão será mais difícil controlar as chamas que atiçam com a gordura. Reservem sempre uma parte da grelha sem brasa, para que tenham uma zona segura onde podem “refugiar” a vossa comida para que não queime. Outra coisa que aprendi a ver numa churrasqueira: quando estamos perto do final da assadura, cortar logo o frango aos pedaços para que asse mais rápido.

Este são algumas das coisas que fui aprendendo, mas quero que partilhem as vossas dicas sobre o belo do frango no churrasco. Agora vamos às receitas!

Fizemos duas experiências. Uma chamámos-lhe Laranja-Limão e ao outro frango “Bubas”. Para o Laranja-Limão, fizemos uma marinada com sumo de laranja e raspa, sumo de limão e raspa, alho esmagado com casca e azeite. Para o “Bubas” usámos ginja, whiskey, molho inglês, alho esmagado com casca e óleo. Sal fica para quando os frangos estão na brasa. A partir daqui, é uma luta mano a mano entre o churrasco e o homem! Tenham atenção de que se quiserem (e devem) no final ter molho para o frango, não usem o resto da marinada. Esteve em contacto com frango crú e por isso não é aconselhável. Façam a mais e (palavra que a malta da cozinha gosta muito de usar) reservem para usar no final.

E não se esqueçam de ter sempre os ajudantes por perto. Aqui, os conselhos da Ginja e do Dexter deram um jeitão!

Qual é a vossa receita para frango do churrasco? Alguém sabe qual é o molho que se usa nas churrasqueiras? Que dicas têm para partilhar connosco?

Bom churrasco!

TQB_FRANGO ASSADO-001TQB_FRANGO ASSADO-002TQB_FRANGO ASSADO-004TQB_FRANGO ASSADO-007TQB_FRANGO ASSADO-008TQB_FRANGO ASSADO-009TQB_FRANGO ASSADO-010TQB_FRANGO ASSADO-011TQB_FRANGO ASSADO-012TQB_FRANGO ASSADO-014TQB_FRANGO ASSADO-015

ruySeptember 22, 2014 - 19:25

Caro amigo
Vou dar-lhe uma sugestão, que aprendi pelo México:

-injecte com uma seringa própria as coxas e o peito do frango, com uma boa gordura qb, antes de grelhar, depois diga-me o efeito

Maravilha, escreva o que estou dizendo

Bom apetite e o resto são conversas

Ruy Costa

Tudo qué Bonito!September 23, 2014 - 09:22

Ruy, muito obrigado pela sugestão. Vou experimentar de certeza! Já tinha visto técnicas parecidas, até noutros pratos por isso é algo a explorar. Muito obrigado!